O dia em que Florentino Pérez tentou transformar Messi em um 'novo Figo'




Devido à uma das maiores traições da história do futebol, a temporada 2000/2001 começara de maneira extremamente amarga para os torcedores culés. O então principal jogador do time, o português Luís Figo, resolveu trocar o Barcelona pelo Real Madrid, maior rival do nosso clube.  O ocorrido foi um duro golpe para o barcelonismo, fato comemorado até hoje pelos madridistas, inclusive por seu presidente, Florentino Pérez. Em entrevista à uma TV Espanhola em 2017, Pérez falou que "contratar Figo foi como arrancar o coração do Barcelona".  A frase foi acompanhada por algumas risadas. O Real Madrid, por meio de seu recém eleito presidente na época, pagou 60 milhões de euros para tirar o camisa '10' do FC Barcelona. Em 2013, o mandatário tentou repetir o feito, uma aposta que, se desse certo, seria sem dúvidas o maior 'chapéu' da história do mercado esportivo mundial. 

A temporada 2012/2013 não havia sido das melhores para o time blaugrana, que apesar de vencer a Liga e supercopa da Espanha, não conseguiu manter o nível de jogo após a saída de Pep Guardiola. O Real Madrid tampouco conseguiu fazer uma temporada à altura do investimento e dos jogadores que tinha, e terminou aquele ano sem ao menos levantar uma taça. Para piorar, os rumores sobre uma possível saída de Cristiano Ronaldo esquentavam, inclusive com o vazamento de  informações de que haveriam conversas avançadas do jogador com o Manchester City-ING. O fato fez com que os diretores do Real Madrid começassem a se mexer rapidamente em busca de um substituto. Mas quem? Foi então que surgiu uma ideia absurda vinda do chefe máximo da instituição: "¡vamos por Messi!", disparou Florentino Pérez - imagino eu. A princípio, ninguém deve ter levado a ideia a sério, mas, logo todos recordaram o acontecido em 2000, e uma ideia absurda se tornara plausível. 

Segundo informações do jornalista alemão Der Spiegal, baseado nos documentos da Football-Leaks, o Real Madrid enviou à Barcelona um representante não ligado oficialmente ao clube, mas alguém de extrema confiança do presidente Florentino Pérez. Esse suposto representante teria se comunicado com o pai de Messi e marcado um almoço, onde não se apresentaria como representante do clube merengue em primeira mão, mas como alguém que buscava contratar o jogador para campanhas publicitárias. O intuito do mensageiro nesse primeiro encontro era entender a situação e identificar as possibilidades. Mas, por meio de pessoas conhecidas, Jorge Horácio (pai do jogador) já sabia de quem se tratava o tal enviado, o que acabou encurtando os caminhos. Jorge afirmou ao homem que seria muito difícil, pois Messi jamais manifestara o desejo de deixar o Barcelona, mas que transmitiria uma proposta oficial ao '10' culé

Conversas avançadas? 

No início de agosto de 2013, os advogados de Lionel Messi se reuniram com um dos representantes do Real Madrid para receber a tal proposta. No entanto, foram surpreendidos com uma resposta dos próprios advogados, que afirmaram que entregariam a oferta, mas que Messi agradecera o convite, porém, de maneira nenhuma deixaria o Barcelona para jogar no Real Madrid. A Football-Leaks afirma ainda que essa foi a única oferta oficial, mas que em outras duas oportunidades Florentino já havia sondado o jogador, onde teria obtido as mesmas respostas. 

A proposta:

Florentino Pérez estava disposto a pagar a cláusula de rescisão de Lionel Messi, que na época era de 250 milhões de euros. Além disso, o jogador teria um salário liquido (livre de impostos) de 23 milhões de euros anuais, e o Real Madrid ainda abriria mão do seu percentual nos direitos de imagem de Messi, que giraria em torno de 20 milhões por ano. Mesmo com tudo isso, Lío resolveu ficar em casa. 

O aprendizado... 

O dia em que Florentino Pérez tentou transformar Messi em um novo Figo, na verdade foi o dia em que o mesmo descobriu que nem tudo pode ser comprado. 

Por Lui Chaves