Carta para ‘Dom’ Andrés Iniesta

| Por Lui Chaves 
Sou um amante do futebol, sou um amante do Fútbol Club Barcelona. E hoje venho por meio deste simples texto agradecer a um dos maiores gênios que esse esporte e esse clube já viram.

Obrigado, Iniesta; obrigado por demonstrar tanto amor por esse manto, por não aceitar render menos do que 200%; obrigado por entender que o Barcelona precisaria mudar de patamar e, o único jeito seria jogar um jogo diferente do que o Mundo se acostumara a ver. Sua parceria com Messi e Xavi foi algo tão espetacular quanto a invenção do futebol.

Profissional, uma dedicação inspiradora para companheiros e torcida, que sempre viram em você a confiança necessária para seguir lutando. Nas derrotas sempre com uma palavra de conforto, uma cabeça erguida para dizer: “isso é futebol, alguém precisa perder”. Nas vitórias a postura sempre foi respeitosa, tendo total compreensão do que seu time havia feito, mas sempre respeitando seu oponente e admirando cada um deles.

Polêmica? Tá aí uma palavra que não combina nem um pouco com sua carreira. Exemplo! Palavra que pode ser usada para descrever o brilhantismo dos seus passos em quase vinte anos de futebol profissional. Com a camisa do Barcelona, lá se vão 22 anos, em 1996 sua história começou a ser escrita com as cores azul e grená, e que honra pra esse clube ter te acolhido, ter te descoberto, pois hoje ele te deve tanto.

Como torcedor, escrevo essas palavras com o peito apertado, imaginar a camisa 8 culé vestida por outro jogador, a faixa de capitão em todos as partidas no braço de Messi; nos traz a assustadora realidade da vida... que porra de tempo implacável! O tempo passa até para os gênios, para as lendas. O corpo pode não responder aos comandos como antes, e como você mesmo diz: “o Barça não merece menos do que 200%”. Que honra, que orgulho ter visto você jogar com a camisa do nosso FC Barcelona.

Agora te peço desculpas, sei que tens mais alguns anos de futebol na China. Tudo bem, mas me recuso verte com outra camisa, quero guardar na memória a camisa ‘8’ mais brilhante da história do futebol apenas em azul e grená.

Obrigado, ‘Dom’ Andrés, obrigado por tanto e até breve!