O histórico de Barça-Chelsea: A história começa em azul e grená


| Por Lui Chaves 

Um confronto equilibrado que acontecerá pela sexta vez desde 2000, onde essa será a quinta só em eliminatórias

Vamos conhecer à partir de agora o retrospecto de um confronto que completa em 2018, 52 anos de história. Porém, pela Liga dos campeões foi disputado pela primeira vez em 2000. Desde então, foram cinco encontros em eliminatórias e um pela fase de grupos. Vamos relembrar um por um, ano por ano e recordar os craques e destaques de cada clube em cada temporada. Confira e desfrute:


1999-2000, a história começa em azul e grená

A forma de disputa daquele ano ainda era um pouco diferente dos tempos atuais. As equipes qualificadas para a competição, eram - assim como hoje - divididas em oito grupos com outros quatro times, se classificando os dois melhores para a etapa seguinte. Entretanto, os clubes classificados não iam direto para o mata-mata, e sim, para uma nova fase de grupos. Os 16 classificados eram divididos em 4 chaves, e assim como acontecera na primeira fase, jogavam entre si dentro dos grupos em partidas de ida e volta, classificando-se os dois melhores de cada grupo paras as quartas de finais.

O Barça chegara para o confronto contra os blues após terminar em primeiro nos dois grupos pelos quais havia passado. Na primeira fase, os blaugranas sobraram no Grupo-B. Líder com 14 pontos; 6 jogos, 4 vitórias, 2 empates e nenhuma derrota. Fiorentina (2º), Arsenal (3º) e AIK-SUÉCIA (4º), foram os adversários nesse primeiro momento.

Os ingleses também fecharam a primeira etapa como líderes de seu grupo. Acompanhados por Hertha Berlim (2º), Galatasaray (3º) e Milan (4º), o time comandado pelo italiano Gianluca Vialli conquistou 3 vitórias, 2 empates e 1 derrota em 6 jogos disputados; encerrado a primeira fase com 11 pontos.

Na segunda fase de Grupos, o Chelsea teve mais dificuldades, fechando a participação na segunda colocação. Na chave D, com as companhias de Lazio (1º), Feyenoord (3º) e Olympique de Marselha (4º), o time de Londres teve 3 vitórias, 2 derrotas e 1 empate; classificam-se para as quartas no pote dos vice-campeões de chave.


O Barcelona, por sua vez, seguiu para mata-mata como o único invicto da competição. Caindo no Grupo A, com Porto (2º), Sparta Praga (3°) e Hertha Berlim (4°); os culés encerraram a segunda fase com 5 vitórias, 1 empate e nenhuma derrota. Foram 16 pontos conquistados em 18 possíveis.


Stamford Bridge, 05 de abril de 2000 | Chelsea 3-1 Barcelona

Escalação do Chelsea: De Goey; Ferrer, Desailly, Thome e Babayaro; Petrescu, Wise, Deschamps e Morris; Flo, Zola. 

Reservas: Cudicini, Hogh, Poyet, Sutton, Di Matteo, Lambourde e Harley. 

Técnico: Gianluca Vialli

Escalação do FC Barcelona: Hesp; Puyol, Abelardo, F. De Boer e Bogarde; Gabri, Xavi, Cocue e Figo; Kluivert e Rivaldo. 

Reservas: Arnau, Reiziger, Dehu, Guardiola, Litmanen, Dani e Simao.

Técnico: Louis Van Gaal

Árbitro: Markus Merk (Alemanha)

A invencibilidade culé não durou muito nas quartas de finais. A postura dos ingleses, que partiram pra cima desde o primeiro minuto, surpreendeu o técnico holandês Louis Van Gaal. O primeiro tempo em Londres foi um pesadelo para o Barcelona. Aos 30 minutos o italiano Zola abriu o placar. O Gigante norueguês, André Flo, ainda marcaria mais dois no primeiro tempo, aos 34' e logo depois aos 38'; indo para o intervalo com um inesperado 3-0. Os catalães voltaram para a etapa final com a clara intenção de não sofrer mais gols, o que deixaria a situação ainda mais difícil. Contando com uma queda de ritmo natural dos blues, o Barça conseguiu descontar com Luís Figo aos 19' minutos do segundo tempo. Fim de jogo, 3 a 1 para o Chelsea. Um duro golpe para um time que até então estava invicto, e era considerado o grande 'bicho papão' do torneio.


Camp Nou, 18 de Abril de 2000 | Barcelona 5-1 Chelsea - 3-1 (90') 2-0 (T.E)

Escalação do FC Barcelona: Hesp; Zenden, F. de Boer, Reiziger e Puyol; Cocu, Guardiola e Gabri; Rivaldo, Kluivert e Figo. 

Reservas: Arnau, Abelardo, Litmanen, Sergi, Dani, Simao e Xavi. 

Técnico: Louis Van Gaal

Escalação do Chelsea: De Goey; Babayaro, Desailly, Leboeuf e Ferrer; Morris, Wise, Deschamps e Di Matteo; Zola e Flo. 

Reservas: Cudicini, Petrescu, Poyet, Sutton, Ambrosetti, Lambourde e Thome. 

Técnico: Gianluca Vialli

Árbitro: Anders Frisk (Suécia)

A volta em Barcelona foi presenciada por quase 100 mil pessoas o estádio Camp Nou, que puderam testemunhar uma atuação épica do brasileiro Rivaldo e do português Luís Figo. O técnico Louis Van Gaal não tinha escolha, e teve que abrir o time. O holandês sacou o jovem Xavi da equipe, para dar lugar ao elegante e mais experiente Pep Guardiola. Pep dava mais segurança na recomposição, e mantinha com esplendor a qualidade no passe. Com isso, Rivaldo, Figo e Kluivert formariam a trinca de ataque; com Cocu, Guardiola e Gabri no meio.

A escalação ousada deu resultado, e os blaugranas pressionaram desde o primeiro minuto de jogo. Aos 25 minutos Rivaldo abriu o placar, levando a loucura a torcida culé. No último lance do primeiro tempo, Luís Figo marcou o segundo do Barça; gol esse que já garantia a classificação dos catalães. Porém, aos 15 minutos da segunda etapa, o norueguês André Flo deu uma injeção de drama na partida, diminuindo o placar para o Chelsea . À partir desse momento, o Barcelona precisaria anotar pelo menos mais um gol para levar a partida para a prorrogação, ou, mais dois para classificar-se ainda no tempo normal. O atacante Dani García, que havia entrado aos 28 minutos do segundo tempo no lugar do zagueiro Zenden, marcou aos 37' o gol que levou a partida para a prorrogação; uma explosão em azul em grená nas arquibancadas do Camp Nou. No tempo extra os craques do Barça não se esconderam. Rivaldo - que na época era o melhor jogador do Mundo - fez de Pênalti o quarto gol do time da casa. Para sacramentar a classificação histórica, o holandês Kluivert, deu números finais ao jogo ainda no primeiro tempo da prorrogação. Final, Barcelona 5, Chelsea 1. Uma eliminatória para dar muita moral á equipe que jogava um belo futebol, e que contava com craques que estão até hoje com seu nome gravado na história do clube. O Barça seria eliminado nas Semifinais daquela edição, perdendo para o Valência, que seria o vice-campeão

Resumo da temporada do FC Barcelona: Apesar de ter um time altamente qualificado, os comandados de Louis Van Gaal terminaram a temporada 1999-2000 sem levantar nenhum troféu, sendo Vice-campeão da Supercopa da Espanha, eliminado nas semifinais da Champions e da Copa do Rei, e ainda terminando como Vice-campeão espanhol.

Resumo da temporada do Chelsea: Os ingleses não passaram em branco na temporada. Além de ter sido eliminado pelo Barcelona nas quartas da Champions, o Chelsea foi 5º no campeonato inglês, foi eliminado na terceira fase da Copa da Liga e foi campeão da F.A Cup.

A história que começara em 5 de abril de 2000, conta ainda com mais 5 episódios após esse. Fiquem ligados no Site da News FC Barcelona, e relembre todos esses importantes capítulos da trajetória culé, até o novo encontro de 180 minutos que se inicia no dia 20 de fevereiro de 2018. Até a próxima!

Confira a parte 2.