Gerard Deulofeu: a eterna promessa de La Masia


| Por Lui Chaves 
Sete meses após ser repatriado, Deulofeu é emprestado pela terceira vez desde quando foi promovido a primeira equipe.


Reconhecido por muitos nos tempos de 'cantera' como um dos mais promissores jogadores da base blaugrana, Gerard Deulofeu (24 anos) mais uma vez não conseguiu se firmar no time principal do Barça. Recontratado na janela de transferências de meados de 2017, graças a execução de uma cláusula de recompra, o menino que encantou os técnicos das divisões inferiores, segue sendo uma promessa após 5 anos de futebol profissional. 
Deulofeu estreou pelo Barcelona B em 2010, em partida contra o Córdoba pela segunda divisão espanhola. Pela filial, o jogador conseguiu ter um desempenho semelhante aos tempos de categorias de base; foram 68 jogos e 27 gols. Na temporada 2011-12 foi o artilheiro do time, marcando 16 gols em 34 jogos. Ainda quando estava trabalhando na segunda equipe, passou a ser chamado pelo técnico Pep Guardiola para participar de alguns jogos, para que assim pudesse aos poucos se adaptar ao elenco principal. Entrou em campo pelo time de cima em 11 de Abril de 2011, substituindo David Villa, em jogo contra a Real Sociedad pelo Campeonato Espanhol. 
Já com Guardiola, o jogador não demonstrou aquilo que se esperava, algo completamente diferente do que se viu no Barça-B e em "la Másia". O jogador ousado, habilidoso e com um repertório vasto; deu lugar a um atacante morto, sem protagonismo e que parecia se esconder no gramado. Dessa forma, era claro que Gerard Deulofeu não teria espaço em uma equipe tão qualificada e que acabara de receber Neymar Jr. Por isso, no dia 10 de Julho de 2013 a diretoria anunciou o seu empréstimo ao Everton da Inglaterra. Na temporada 2013-14 com o time inglês, Deulofeu teve um bom desempenho, o que fez com que torcida e imprensa começasse a pedir o retorno do canterano. Pouco antes do fim da cessão aos ingleses, a diretoria do FC Barcelona informou clube e jogador que o empréstimo não seria estendido, e que o mesmo era esperado para a pré-temporada 2014-15. 
Apenas um mês após regressar a capital catalã, no dia 10 de Agosto de 2014, o Barça anunciou que Deulofeu seria novamente emprestado, dessa vez ao Sevilla, para ganhar ritmo e experiência, pois o trio Messi, Neymar e Suárez dariam pouquíssimas chances ao garoto.  O rendimento na Andaluzia foi pífio, outra vez muito abaixo da expectativa, fator que levou o Barcelona a aceitar uma proposta do Everton no valor de 6 milhões de euros para a venda em definitivo do jogador, em Junho de 2015. "A esperança é última que morre". Uma frase bem antiga e conhecida, mas que  pode ser facilmente aplicada a diretoria Blaugrana. Mesmo aceitando negociar Deulofeu, a direção impôs uma cláusula de recompra no valor de 12 milhões de euros, acreditando que o mesmo poderia dar a volta por cima, e retornar a Barcelona para enfim de estabelecer. Deulofeu atuou uma temporada e meia pelo time inglês, até ser emprestado ao Milan no meio da temporada 2016-17. 
As atuações do atacante na Itália chamaram a atenção do Barcelona. Em 30 de Junho de 2016, o clube executou a cláusula de recompra no valor de 12 milhões de euros, e repatriou o jogador. Não podemos esquecer que a chegada de Deulofeu coincidiu com a saída de Neymar, que se transferiu ao PSG deixando um grande vazio, que a principio teria apenas o canterano para suprir. Mesmo assim as oportunidades apareceram e, ninguém esperava que Gerard Deulofeu executasse o papel de Neymar, apenas esperava-se um jogador determinado, focado em encontrar um lugar no clube que o criou. Mas, definitivamente isso não aconteceu. O desempenho no Milan que o levou a seleção espanhola e reascendeu o interesse do Barça, simplesmente não se apareceu, e Deulofeu volta a ser emprestado sete meses após a sua repatriação. O destino - mais uma vez - é a Inglaterra, dessa vez, o Watford. A carreira de Gerard Deulofeu, até aqui deixa evidente uma coisa: O FC Barcelona pode ser a sua casa, mas jamais será o seu lugar. Boa sorte, craque!
Números de Gerard Deulofeu em clubes: 
2010-13 | Barcelona-B | 68 Jogos - 27 gols
2011-13 | Barcelona | 6 jogos - 0 gol
2013-14 | Everton | 29 jogos - 4 gols
2014-15 | Sevilla | 28 jogos - 3 gol
2015-17 | Everton | 46 jogos - 4 gols
         -17 | Milan | 18 jogos - 4 gols
2017-18 | Barcelona | 17 jogos - 4 gols



Total: 244 jogos - 44 gols