Dois gols e bom futebol; Rafinha pede espaço no Barcelona

| Por Marcelo Bechler
Para enfrentar o Deportivo La Coruña o Barcelona não contava com os dois laterais titulares, Sergi Roberto e Jordi Alba. Messi voltava de lesão e depois de uma parada para jogos de seleções Iniesta precisava de descanso. Luís Enrique então mostrou duas coisas: uma é que não confia nada em Aleix Vidal. A outra é que, justamente por essa falta de confiança, escalou um time sem lateral direito, com Arda Turan como ala em um 3-4-3.

Para os aficionados pela tática o desenho era bastante interessante. Mascherano ,Piqué e Mathieu formavam a defesa e, sem a bola, Lucas Digne virava lateral direito e Mascherano o direito. Quando atacava, Arda se posicionava já quase como um ponta, fazendo Rafinha, o extremo esquerdo, atuar mais fechado.

As melhores jogadas vinham sempre com Rafinha no primeiro tempo, quando o Deportivo ofereceu mais resistência. Fez o primeiro gol em jogada toda dele, recuperando a bola e tabelando com Suárez. Antes já havia deixado Neymar na cara do gol, em lance desperdiçado. Rafinha ainda fez o segundo aproveitando rebote do goleiro.

Quatro gols do brasileiro na temporada, seu melhor início na carreira. Vem funcionando bem jogando no lugar deixado por Messi e atuou até como um falso ala contra o Leganés. De um jogador insatisfeito e que pensou em sair por não ter espaços, o camisa 12 pode virar séria opção para quando Leo precisar de descanso.