Pai de revelação da La Masia diz que punição da Fifa 'está matando' o filho




O pai do jovem Ben Lederman, americano da base do Barcelona, garantiu nesta terça-feira que levará a Corte Arbitral do Esporte (CAS) o caso envolvendo o filho, que não pode atuar pelo clube, por causa de punição da Fifa.

Em extensa reportagem publicada no The New York Times, Danny Lederman garante que a impossibilidade de atuar em jogos oficiais por um ano, enquanto perdurar o embargo, estaria 'matando' o jovem de 15 anos.

"E a mim também, como pai. Está me matando. Um ano? As crianças precisam jogar. Ele treina, treina, treina, mas não pode jogar, isso não está certo", lamentou.

A família Lederman viajou em 2011 da Califórnia para Barcelona, motivada pela esperança de Ben se tornar o primeiro americano a defender o clube, mas a punição imposta pela Fifa o impede de atuar, mesmo após vários recursos.

O jovem atleta não disputará partidas até janeiro de 2016, mas o pai garante que levará o caso ao CAS e 'desafiar a noção básica do Artigo 19'.

"Entendo que a norma foi feita para que se protejam as crianças de serem afastados das famílias, mas a nossa tomou a decisão de se mudar para a Espanha. Por que a Fifa deve dizer onde devemos viver, se nós queremos que nosso filho jogue futebol?", indagou.

De acordo com a matéria do The New York Times, no fim de 2014, a Fifa definiu que as transferências de jogadores estrangeiros menores de idade estavam irregulares, o que acarretou na revogação da inscrição de atletas, assim como a não-renovação do vínculo de outros, obrigando a adoção de regras de elegibilidade corretas.

O chamado Artigo 19 tenta impedir que agentes e clubes tragam crianças de países menos desenvolvidos para testes. "Em termos claros, a regra dispõe que os jogadores juvenis não têm direito de se registrar como parte de um time de fora de seu país de origem até que façam 18 anos", explica o 'NYT.

VIA ESPN