Sem o doblete, não há triplete




E sem o gênio maior da atualidade do futebol, não há genialidades.

Sim blaugranas, o Barcelona conquistou nesse sábado (30), o segundo título da temporada, a Copa do Rei, em cima de um velho e conhecido rival, o Athletic Bilbao.

Poderíamos dar destaque maior à volta de Suárez, a liderança de Mascherano, ou até mesmo, a última visita de Xavi como jogador do Barça ao Camp Nou. Mas, novamente, quem atraiu todos os holofotes foi o craque argentino de 1,70m, e que joga um outro esporte dentro das quatro linhas.

Começo de partida, jogo truncado, difícil, o Athletic marcava forte, aliás, essa foi uma das surpresas da decisão, além da forte pressão nos minutos iniciais, o técnico Ernesto Valverde decidiu colocar um homem fixo para marcar Lionel Messi. O escolhido: Balenziaga. Coitado... Mal sabia ele que naquela noite, Messi conduziria magistralmente o time catalão a mais uma conquista de Copa, a 27ª da história do clube.

Tente enxergar o momento. Vinte minutos do primeiro tempo, Messi recebe na ponta-direita, na altura do meio-campo, troca alguns passe com Daniel Alves, e de repente, avança, avança, avança, e... Gol. Só isso, simples assim. Para quem não viu a jogada, tentarei descrever. Com um toque na bola ele deixou o primeiro marcador para trás, depois disso, mais três surgiram, e com mais dois toques, o camisa 10 entrava livre pela ponta da área, tirava mais um marcador da jogada com um corte sutil para a esquerda, e colocava, parece que mimeticamente, a bola no canto do goleiro Herrerin. Estava aberto o placar no Camp Nou.

Neymar ampliou ainda no primeiro tempo, em bela troca de passes com Rakitic e Suárez. Na segunda etapa, o gênio argentino apareceu livre na área para empurrar a bola pro gol. E, já no finalzinho, Williams descontou para os bascos, mas, absolutamente nada, foi capaz de tirar o brilho de mais uma atuação antológica do astro do clube azul-grená.

A versão mais completa de Lionel Messi desde os tempos de Guardiola, sem dúvidas, é a dessa temporada. Ele não só vêm sendo genial e goleador, como também, está mais decisivo do que nunca. 

No último final de semana, ele começou e terminou a jogada do gol que daria o título espanhol ao Barcelona. Nesse sábado, não foi diferente, Messi proporcionou aos mais de 90 mil espectadores que estiveram presentes no Camp Nou hoje, uma verdadeira aula de como jogar futebol.

Um minuto de aplausos a um dos maiores jogadores da história. Ele merece!