De uma defesa imprecisa a uma das melhores da Europa




Gerard Piqué e Javier Mascherano formaram, e ainda formam a dupla de zaga titular do Barcelona, dois jogadores de funções um pouco distintas, um improvisado e o outro de ofício. Ambos marcaram época, ora por serem extremamente imprecisos, ora por fazerem parte da segunda defesa menos vazada da Europa até então, ou seja, o rendimento aumentou, mas com ele vieram novas expectativas em cima do sistema defensivo catalão, surgiram perguntas, esperanças, almejos e especulações.

A temporada 2013/14 não foi da melhores para o Barcelona, o jejum de títulos fundido com a pouca eficiência de diversos jogadores marcaram, o que pode ser chamado de, “era da reformulação”. Porém, o que mais chamou atenção nesse período de seca do clube foi a extrema ineficácia, e até mesmo, em alguns jogos, o pouco empenho dos defensores. Excluindo os laterais, que compõem mais a parte ofensiva do campo, e focando nos zagueiros, temos em pauta um problema difícil de ser solucionado. Muitas vezes na temporada passada, a imprecisão em lances cara a cara, o tempo de bola falho e as divididas muitas vezes faltosas, mostraram um dos maiores dilemas a ser enfrentado pelo Barcelona, o de reformular a zaga, ou trabalhar e melhorar os jogadores que o time possui.

A decisão não poderia ter sido melhor, começamos o campeonato espanhol 2014/15, sem sofrer gols por oito jogos, ainda com um time deficiente, mas que já mostrava evolução em diversas partes do campo. Viemos a ser vazados diante de rivais de potência, que possuem bons ataques, e uma pitada de azar em alguns jogos culminou em gols sofridos por bobeira, que foram rapidamente lapidados com a genialidade dos nossos atacantes.

Piqué mostra uma forma física, um tempo de bola, e uma precisão invejáveis, extrema cautela em jogadas perigosas, cometendo poucas faltas e sabendo lidar com os dribles e arrancadas. Vem sendo peça fundamental na recomposição do time, sendo que poucas vezes sobe ao ataque, é muito ágil, e tem uma visão de jogo ampla, podendo surpreender o espectador com um lançamento do meio de campo que com alguns toques na bola resulta em gol.

Mascherano é polivalente, atua como zagueiro, mas como sua função original é ser volante, ele sabe armar, conter, marcar, tocar e até atacar se for preciso. Depois de uma Copa do Mundo espetacular do defensor, regressou ao Barcelona com novos desejos, fez parte da reformulação de alguns anos, e se pôs a prova ao ajudar o time a arrancar nas primeiras rodadas rumo a uma defesa de ponta. Javier é o que se pode chamar de defensor completo, que, assim como Piqué, pode brindar os torcedores com cabeçadas firmes, desarmes precisos, e uma visão de jogo digna de um vice-campeão mundial.


Enfim, o problema da zaga catalã parece ter sido ofuscado devido ao alto rendimento dos defensores na temporada atual. A esperança de que isso torne o time ainda mais entrosado, e mais compacto e firme, segue grande, além dos goleiros de extrema habilidade, os zagueiros vem mostrando ser mais uma peça indispensável em um elenco recheado de jogadores técnicos, táticos e geniais.