| PRÓXIMO JOGO








BARCELONA 1-0 REAL SOCIEDAD





TITULARES TITULARES
Ter Stegen
Semedo
Piqué
Mina
Alba
Busquets
Iniesta
Rakitic

Coutinho
Suárez
Dembélé
Moyá
Aritz
Raúl
Llorente
De la Bella
Januzaj
Illarramendi
Oyarzabal
Zurutuza
Juanmi
José
RESERVAS RESERVAS
Cillessen
Denis
Messi
Paco
Digne
Gomes
Aleix
Bulli
Zubeldia
Prieto
Parddo
Canales
Odriazola
Bautista





VEJA MAIS

Barcelona é derrotado fora de casa e perde a chance de estabelecer marca histórica

| Por Vitor Magalhães 
Sem Messi, equipe catalã joga mal e perde invencibilidade que durava 42 jogos

O Barcelona sofreu em campo na tarde deste Domingo (13), no estádio Ciutat de València. O destemido Levante aplicou 5-4 na forte equipe catalã e acabou com o sonho da conquista do campeonato de forma invicta. Sem Messi em campo e durante os 45 minutos iniciais, o Barcelona tornou-se uma equipe sem criatividade.

O sistema defensivo esteve irreconhecível na partida de hoje, e pela primeira vez na temporada levou 5 gols em um jogo. O miolo de zaga formado por Mina e Vermaelen não viu a cor da bola e o Levante aproveitou para criar as suas chances a partir dos erros barcelonistas. Piqué entrou no segundo tempo, mas não resolveu o problema. Mina e Semedo fizeram um primeiro tempo horrível, que pôs em xeque suas contratações e até mesmo o trabalho de Ernesto Valverde enquanto comandante.

A conquista inédita do título espanhol de forma invicta, era uma espécie de obrigação que o torcedor exigia do time após a eliminação na Champions League. Mas isso não aconteceu, deixando um gosto amargo no fim de temporada dos catalães. Sem Messi, – que está sendo poupado, provavelmente, para a Copa do Mundo –, o Barcelona acusou o golpe e não conseguiu criar nada no primeiro tempo. O argentino que sequer esteve no banco de reservas, ganhou mais uma chuteira de ouro na carreira, e se tornou o maior vencedor da história do prêmio (5 vezes).

A equipe que foi para o vestiário perdendo por 2-1, logo se viu envolvida em maus lençóis quando o Levante abriu 5-1 aos 10’ da etapa final. Foi aí que P. Coutinho resolveu assumir a responsabilidade na criação de jogadas. O brasileiro fez uma de suas melhores atuações ofensivas hoje, que culminou em seu primeiro hat-trick com a camisa azul e grená, mas nem isso foi suficiente para evitar a derrota e mais um vexame na temporada.

O estilo de jogo de Ernesto Valverde mais uma vez é discutido pelos torcedores do Barça, que dizem que o treinador “faz o time sair de seu estilo natural”. A torcida fica mais uma vez com o pé atrás a respeito do treinador, que apesar de ganhar dois dos três títulos que disputou na temporada, não convenceu todos os culés de sua capacidade.

O próximo e último compromisso do Barcelona na temporada, será no próximo domingo (20), perante a Real Sociedad, no Camp Nou. Jogo para cumprir tabela, já que a invencibilidade foi quebrada. Agora é fazer o balanço do que aconteceu em 17/18 e acertar o time para a temporada 18/19. A movimentação no clube deve ser intensa nos próximos meses, com grandes possibilidades de saídas e possivelmente chegada de novos jogadores para compor o elenco.


VEJA MAIS

LEVANTE 5-4 BARCELONA





TITULARES TITULARES
Oier
Coke
Pier
Postigo
Luna
Morales
Lukic
Campaña
Bardhi
Roger
Boateng
Ter Stegen
Semedo
Mina
Vermaelen
Alba
Busquets
Rakitic
Iniesta
Dembelé
Suárez
Coutinho
RESERVAS RESERVAS
Villar
Lerma
Rochina
Pazzini
Cabaco
Pedro
Fahad
Cillessen
Piqué
Denis
Paulinho
Paco
Digne
Gomes








VEJA MAIS

Barcelona e Real Madrid empatam por 2-2 em jogo marcado por erros de arbitragem

| Por Vitor Magalhães 
Expulsão, diversos erros, e futebol de alto nível regraram o último “el clasico” da temporada

O Barcelona empatou com o Real Madrid por 2-2 no Camp Nou, em partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Espanhol. Com Gols de Suárez e Messi para os catalães, e Cristiano Ronaldo e Bale para o time de Madri. Este foi o 50° empate da história do “El Clasico”.

A equipe catalã já é campeã espanhola da atual temporada, mas entrou em campo focada na busca de um feito inédito em sua história, o título invicto. Com o empate na tarde de hoje, o Barça já soma 42 jogos sem derrota na La Liga.

O jogo começou com um alto nível técnico de ambos os lados, mas com um domínio barcelonista. Suárez abriu o placar após belo cruzamento de Sergi Roberto. O Real empatou com Cristiano Ronaldo, após Benzema escorar de cabeça. A partir daí, veio o destaque negativo da partida, que ficou por conta do árbitro, Alejandro José Hernadez Hernandez, (sim, são dois “Hernandez”), que errou diversas vezes em lances capitais e acabou influenciando no resultado final.

Em um desses lances, não expulsou G. Bale, que entrou com as travas da chuteira na panturrilha de Umtiti. Nos minutos finais do primeiro tempo, após várias entradas ríspidas de ambas às partes, o juiz apresentou o cartão vermelho direto à Sergi Roberto, após agressão ao lateral adversário, Marcelo. O árbitro havia perdido absolutamente o controle da partida, ainda no primeiro tempo.

O segundo gol dos culés veio na segunda etapa, com um jogador a menos o Barcelona precisou se superar dentro das quatro linhas, e conseguiu. Após belo passe de Luis Suárez para Messi, o argentino puxou para à esquerda e marcou pela 26ª vez na história do confronto.
Há que se destacar, que o uruguaio cometeu falta no lance em que gerou o gol, ou seja, mais um erro da arbitragem.

O Real Madrid empatou minutos mais tarde, com Bale – que deveria ter sido expulso lá no primeiro tempo –, e depois pressionou bastante o time da casa. O Barça teve que jogar no contra-ataque, devido ao menor número de atletas em campo. Apesar disso, o time teve boas oportunidades de passar à frente no marcador, a maioria delas com Messi, mas não aproveitou.

O empate garantiu mais um jogo de invencibilidade aos blaugranas, agora faltam apenas três partidas para o Barcelona garantir o primeiro título invicto da sua história, e o primeiro no atual formato do Campeonato Espanhol, com 38 jogos. Os próximos jogos do Barça serão diante do Villarreal, em casa, na quarta-feira (9), depois viaja para enfrentar o Levante, no domingo (13), e termina a sua participação no Camp Nou, contra a Real Sociedad no dia 20 de maio. Podendo fechar a série invicta, e uma ÓTIMA temporada da equipe de Ernesto Valverde.

VEJA MAIS

BARCELONA 2-2 REAL MADRID


Com gols de Messi e Suárez, Barcelona fica no 2 a 2 contra o Real Madrid e segue invicto na La Liga.

TITULARES TITULARES
Ter Stegen
Roberto
Piqué
Umtiti
Alba
Busquets
Rakitic
Iniesta
Coutinho
Messi
Suárez
Navas
Nacho
Varane
Ramos
Marcelo
Casemiro
Kroos
Modric
Bale
Cristiano
Benzema
RESERVAS RESERVAS
Cillessen
Semedo
Vermaelen
Paulinho
Denis
Dembélé
Alcácer
Casilla
Vallejo
Kovacic
Asensio
Theo
Lucas
Ceballos













VEJA MAIS

Diego Armando Maradona: “comecei a usar drogas em Barcelona!”

| Por Lui Chaves 
A passagem de um dos maiores jogadores da história do futebol por Barcelona não foi das melhores. Dois anos; uma hepatite, uma lesão grave, uso de drogas e uma batalha campal que entrou pra história. Maradona foi apenas Maradona!

Após seis - meteóricos – anos iniciais de carreira no futebol argentino (Argentinos Juniors e Boca Juniors), Diego Armando Maradona encarou sua primeira aventura europeia em 1982; um sonho que se transformou em um enorme calvário pintado em azul e grená.
A diretoria culé pagou 1,2 milhões de pesetas (cerca de 7,4 milhões de euros) ao Boca Junior para contar com o camisa ‘10’. Mas o que era pra ser uma relação de amor e títulos, se tornou um pesadelo logo nos primeiros meses.

Em dezembro de 1982 o astro da seleção da Argentina contrai hepatite, e tem que ficar três meses afastado dos gramados. O fato desencadeou uma forte depressão em Maradona, que jamais havia ficado parado desde o início da carreira. A direção do Barça, por meio de seu presidente, o senhor Josep Lluís Nuñes, fez de tudo para que o craque se sentisse em casa, inclusive, levando familiares pra Barcelona e pagando por suas estadias e moradias. O que na verdade acabou sendo “um tiro no pé”, pois dificultou ainda mais a adaptação do jogador com a cidade e o clube.

Mas, nem só de momentos difíceis se construiu a história de Diego Maradona no Barça. Os blaugranas acabaram apenas na quarta colocação da Liga em 1982-83, mas a Copa do Rei daquela temporada, e a Supercopa da Espanha da temporada seguinte (também disputada em 1983) foram os ápices do argentino vestindo as cores do maior clube do Mundo. As duas decisões foram contra o Real Madrid. A primeira foi a da Copa do Rei, disputada no Estádio La Romareda em Zaragoza, no dia 4 de junho daquele ano. Maradona comandou a equipe azulgrana que venceu aquela decisão por 2 a 1. O camisa ‘10’ teve excelente atuação, dando passe para os dois gols do Barça na partida (Victor 32’ e Marcos 90’), conquistando assim, seu primeiro ‘caneco’ no velho continente.

Mas o momento mais especial foi sem dúvida a conquista da Supercopa da Espanha, poucas semanas depois. O primeiro jogo foi no Camp Nou, no dia 26 de junho de 1983. O Barcelona chegou a abrir 2 a 0, com gols de Carrasco (50’) e Maradona (57’), mas viu os madridistas empatarem o confronto em 2 a 2; deixando tudo igual para a volta no Santiago Bernabéu. E foi exatamente no jogo decisivo que o meia-atacante argentino escreveu seu nome na história do Barcelona, mesmo que em um capítulo pequeno, mas que vale a lembrança.

Madrid, 29 de junho de 1983 | Real Madrid 1x2 Barcelona

A torcida do Real Madrid lotava o Estádio Bernabéu com mais de 70 mil pessoas, era o primeiro torneio oficial da temporada 1983-84, e para qualquer um dos lados, vencer era fundamental para o marcar o início das campanhas naquele ano. O empate em Barcelona no jogo de ida deixava o confronto totalmente aberto, levando em conta que não existia a regra do gol qualificado naquela época. Aquela foi uma das melhores exibições da carreira de Don Diego Armando Maradona, segundo o próprio. Lances de efeito, finalizações, dribles, arrancadas; a defesa do Madrid formada por John Metgoad, San José, Francisco Bonet e José Camacho; conheceram o inferno na terra naquela tarde de domingo. O gol feito por Maradona foi de pênalti, com 19 minutos de jogo, mas o caos que ele criou foi tão grande, que até a torcida da casa o aplaudiu de pé. Algo poucas vezes visto na história do ‘El Clásico’. O título dava muita moral ao grupo para a disputa das competições que estavam por começar, e ainda mais para Maradona, que começava a se sentir em casa.
Porém, o bom momento duraria pouco. Logo na terceira rodada da Liga 83/84, em jogo contra o Athletic Bilbao, Maradona sofre uma entrada criminosa do zagueiro espanhol Andoni Goikoetxea, o que o afasta dos gramados por mais três meses, devido a uma fratura no tornozelo. Uma lástima!

Em seu livro, yo soy Diego, o lendário craque argentino conta que foi nesse momento que as drogas entraram na sua vida. A depressão por mais um período sem poder fazer o que mais gosta, levaram Maradona a conhecer a cocaína, o que segundo ele “aliviava a tensão causada pela angústia por não poder fazer o que mais gostava”. Após 106 dias sem jogar, Don Diego finalmente pode voltar aos campos. Craque que era, conduziu o Barça em uma recuperação incrível na Liga Espanhola, chegando na 2ª colocação depois de estar em 11º até a rodada 20. Na Copa do Rei, o Barça chegou até a final, perdendo para o Athletic Bilbao – que também ganhara a Liga na mesma temporada.

E foi justamente a final da Copa do Rei o último jogo de Maradona com a camisa culé. A partida foi realizada no dia 5 de maio de 1984, no Estádio Santiago Bernabéu. Após o apito final, o camisa ‘10’ blaugrana – inconformado com a derrota – partiu pra cima de um velho conhecido, o zagueiro Andoni Goikoetxea, que quebrara seu tornozelo nove meses antes. O argentino queria briga, e conseguiu! A reação de Maradona desencadeou uma pancadaria generalizada entre os jogadores dos dois clubes, que terminou com vários atletas na delegacia e imagens lamentáveis nos telejornais “esportivos” de todo o Mundo no dia seguinte.

As consequências para o badboy argentino foram muito além de alguns boletins de ocorrência. A federação espanhola suspendeu Maradona por três meses, o que deixou a diretoria do Barcelona furiosa, não com a corte, e sim com o jogador. Tamanho descontentamento fez com que o clube aceitasse uma proposta bisonha de 600.000 pesetas por seu maior craque; algo em torno de 3,7 milhões de euros (na moeda atual). O destino de Maradona seria o Napoli da Itália, algo que deixou o atleta extremamente irritado. Maradona e seus representantes aceitaram a mudança. Financeiramente arruinado devido ao alto consumo de drogas, o argentino chegou a dar a casa que tinha na cidade como forma de pagamento de dívidas, a mudança para Nápoles poderia ser benéfica para o astro. E de fato, foi!

A carreira de Don Diego foi intensa, cheia de polêmicas, mas com um clube para chamar de ‘seu’ na Europa. O Napoli foi sua casa, seu clube, e os torcedores o trataram com um Rei; assim como ele sempre sonhou ser tratado pelos culés, algo que não aconteceu. Na Catalunha Maradona nunca teve 100% da confiança das pessoas; isso incluindo o clube, a torcida e os companheiros de time. Seu comportamento individualista, tentando sempre chamar a atenção pra si, jamais foi bem visto no FC Barcelona, pois, estamos falando de um clube que tem em seu hino os dizeres: “todos unidos em força”. O Barça é uma nação dentro de outra nação, o individualismo nunca foi e nunca será bem visto dentro dessa instituição.

Em seu livro Maradona diz que “começou a usar drogas em Barcelona”, e afirma que o presidente Josep Lluís Nuñes “tinha inveja de sua popularidade, e por isso não o defendeu nos tribunais”. É sempre mais fácil transferir as responsabilidades de seus erros para outras pessoas, é mais interessante buscar respostas dessa forma. É assim que enxergo Maradona, alguém que nunca foi capaz de assumir as bobagens que fez ao longo da carreira.

É Don Diego, esquecemos de você. Temos um outro argentino para chamar de ídolo!



VEJA MAIS

Elenco 2017-18: como foram os desempenhos individuais?

| Por Lui Chaves 
Uma análise completa, jogador por jogador e suas participações na temporada. Vale a pena conferir!


O ano começou de maneira preocupante para torcida e comissão técnica. A saída de Neymar, juntamente com a dificuldade para substituir o brasileiro, fizeram do início do calendário um verdadeiro pesadelo. Contratações de pouco impacto como as de Semedo e a repatriação de Gerard Deulofeu, davam a impressão de que a diretoria culé estava anestesiada, sem saber como agir diante de tal situação. Ao decorrer do ano, foi evidente a evolução do time em termos de resultado, mesmo que o futebol não tenha encantado.
No âmbito nacional, o Barcelona foi o senhor da Espanha; conquistando um ‘doblete’ de maneira incontestável. 

A Champions League foi - pelo terceiro ano consecutivo – a maior decepção da temporada, e isso precisa mudar! Enfim, os números coletivos já estamos cansados de falar. Vamos agora analisar o desempenho individual de cada jogador. Quem participou mais, quem participou menos, quem teve uma evolução considerável de uma temporada pra outra. Quais são os jogadores que permanecerão para o próximo ano esportivo? Falaremos sobre isso a partir de agora!

Visão geral

O técnico Ernesto Valverde relacionou no total 29 jogadores, contando aqueles que deixaram o clube no meio da temporada. Lionel Messi e Ivan Rakitic foram os mais escalados, um total de 51 participações em 55 partidas do time na temporada. Um número impressionante. Messi é também o artilheiro (43) e melhor assistente (18). Um dado que nos faz exaltar a magnitude de Lío, mas que também gera uma preocupação, devido ao tamanho da dependência. Vale destacar também o bom desempenho da defesa blaugrana, que sofreu – até aqui – apenas 34 gols em 55 jogos, média de 0,61. Uma das melhores defesas da Europa na atual temporada. Como responsáveis, cito agora quatro nomes fundamentais: Ter Stegen, Piqué, Umtiti e Sérgio Busquets; um quarteto defensivo de respeito.

Agora vamos as análises e prognósticos individuais. Lembrando que as informações de valores de mercado e dados complementares, tem como fonte o site tranfermak.com e arquivos pessoais do autor.

1 | Marc-André Ter Stegen (26 anos) – contrato até 30/06/2022 (80M – Multa)
A muralha blaugrana teve papel fundamental no desempenho defensivo da equipe. O alemão demonstrou uma evolução incrível se comparado a temporadas anteriores, e foi sem dúvidas um dos grandes destaques do time Campeão da ‘LaLiga’. Stegen entrou em campo 45 vezes e sofreu 32 gols, disputando, até aqui, todos os jogos do Campeonato Espanhol e 9, dos 10 jogos da Champions. A Copa do Rei foi a única competição em que o goleiro não entrou em campo em nenhum dos nove compromissos do Barça. Ter Stegen é o provável titular da seleção alemã na Copa do Mundo da Rússia, e seu valor de mercado está estipulado em 60 milhões de euros. Esse, sem dúvida nenhuma, é uma figurinha carimbada para a próxima temporada.

13 | Jasper Cillessen (29 anos) – contrato até 30/06/2021 (€60M – Multa)
O holandês é considerado um goleiro de excelente nível pelos seguidores do futebol europeu. Contratado junto ao Ajax em 2016 para substituir o chileno Claudio Bravo, que deixara o clube para jogar na Inglaterra, o jogador que completou 29 anos no último dia 22 de abril tem se mostrado uma fortaleza quando é solicitado. Tão frio quanto o titular (Stegen), Cillessen transmite muita segurança, e foi um dos destaques da equipe na Copa do Rei. O guarda-metas culé ficou marcado principalmente em duas ocasiões: o primeiro foi na partida de volta das semifinais contra o Valência no Estádio Mestalla, onde com uma atuação impecável, ajudou o Barça a garantir vaga para a grande decisão. O segundo grande momento foi exatamente na final, e não foi defendendo, e sim, lançando! Com um passe magistral para Coutinho aos 15 minutos da primeira etapa, Cillessen teve participação fundamental na construção do primeiro gol do Barcelona. 

O camisa ‘13’ disputou 10 jogos – sendo 9 pela Copa do Rei e 1 pela Liga dos Campeões – e sofreu apenas 2 gols. A notícia ruim, é que dificilmente o clube conseguirá manter o jogador no elenco, tendo em vista a idade do atleta, a atual posição no time e as sondagens de grandes times europeus para contar com os serviços do holandês; uma pena, mas a realidade é que para a carreira de Cillessen, sair do Barcelona parece ser o melhor caminho. Apesar da multa de 60 milhões de euros, o valor de mercado do goleiro hoje está avaliado em 9 milhões. Vamos aguardar, mas esse parece uma baixa provável para a próxima temporada.

23 | Samuel Umtiti (24 anos) – contrato até 30/06/2021 - (€60M – Multa)
O zagueiro francês é uma das grandes dores de cabeça recentes da diretoria culé. O baixo valor da cláusula de rescisão (€60 milhões), aliada as suas atuações simplesmente fantásticas, transformaram Umtiti no sonho de consumo de inúmeros gigantes europeus. A ameaça de transferência era grande no início de abril, quando as negociações para a renovação pareciam estar emperradas, esbarrando na alta pedida salarial do francês. Mas ao que parece as coisas se resolveram, e clube e jogador deverão oficializar a renovação do vínculo em no máximo três semanas. O camisa ‘23’ se estabilizou ao lado de Piqué, o que acabou ocasionando a saída de Mascherano. Umtiti disputou 39 jogos na temporada, marcou 1 gol e recebeu 7 cartões amarelos. Seu valor de mercado está avaliado em €60 milhões, mesmo valor da cláusula de rescisão. O francês deve fazer parte do plantel para a próxima temporada -  se não houver nenhuma mudança de direção nas negociações.

3 | Gerard Piqué (31 anos) - contrato até 30/06/2022 (€500M – Multa)

Piqué – como de costume – foi mais uma vez o ponto de equilíbrio e segurança da defesa blaugrana. Zagueiro seguro, tranquilo e tecnicamente indiscutível, o camisa ‘3’ fez outra excelente temporada. Gerard esteve em campo durante 3826’ minutos; 45 partidas no total. Zagueiro artilheiro, marcou 4 gols na temporada. O jogador ganhou um pouco mais a idolatria da torcida culé, quando ao assinar a renovação de contrato em janeiro desse ano, falou que “não teria sentido continuar a carreira se não fosse com a camisa azul e grená”. Ídolo! Gerard Piqué está avaliado em 50 milhões de euros; 10% do valor da multa rescisória.

24 | Yerry Mina (23 anos) – contrato até 30/06/2023 (€100M – Multa)
Mina mal chegou, e já é um sério candidato a deixar o clube na próxima janela de transferências. A tendência é que o Barça empreste o jogador para que o mesmo ganhe mais experiência europeia, pois claramente não está tendo uma adaptação fácil. Foram apenas 3 partidas em campo, sendo duas como titular, e uma substituindo Piqué aos 25 minutos da segunda etapa. O colombiano tampouco tem sido convocado para os compromissos, o que deixa evidente que Ernesto Valverde não deve contar com o atleta para a temporada 2018-19. O valor mercado do zagueiro é de 9 milhões de euros.

25 | Thomas Vermaelen (32 anos) – contrato até 30/06/2019 (€80M – Multa)
O belga Thomas Vermaelen é uma das surpresas positivas da temporada. Jogador marcado por inúmeras lesões, voltou ao Barça em agosto de 2017 com a esperança de se firmar no time em que sempre sonhou jogar. Encontrou, no entanto, uma zaga muito bem alinhada com Piqué e Umtiti, mas foi muito eficaz e competente quando solicitado. Mesmo com os bons desempenhos e ganho da confiança do chefe, o zagueiro não escapou de mais uma lesão. Em janeiro desse ano Vermaelen sofreu um estiramento na coxa esquerda, que o afastou dos gramados por duas semanas. O jogador disputou 18 partidas na temporada, tendo, inclusive, grande atuação na vitória por 3 a 0 contra o Real Madrid no estádio Santiago Bernabéu pelo primeiro turno da Liga. O contrato do camisa ‘25’ vai até junho de 2019 e, até pela idade (32) do jogador, não deverá ser renovado. Vermaelen está avaliado em 5 milhões de euros, e sua continuidade para a próxima temporada é uma incógnita.

18 | Jordi Alba (29 anos) – contrato até 30/06/2020 (€164M – Multa)
Agora vamos falar sobre o verdadeiro substituto de Neymar – taticamente falando. O lateral esquerdo criado em ‘la masia’, foi o grande companheiro de Messi na criação de oportunidades. Com o espaço deixado pelo brasileiro, Alba passou a trabalhar como ponta esquerdo quando a equipe atacava, jogador muito veloz e que conta com muita qualidade técnica, o canterano foi durante todo o ano uma importantíssima válvula de escape para um time que muitas vezes surpreendeu pela falta de criatividade. Em junho, Barcelona e Jordi Alba devem selar mais uma renovação de contrato, dessa vez até 2023 e com uma alta considerável da multa rescisória. O camisa ‘18’ entrou em campo em 45, dos 55 jogos que o Barcelona disputou até aqui; tendo dado 12 assistências e marcando 3 gols. Alba está avaliado em 60 milhões de euros, e com certeza será peça chave do elenco 2018-19.


19 | Lucas Digne (24 anos) – contrato até 30/06/2021 (€60M – Multa)
O francês Lucas Digne é o típico jogador ‘ok’; não compromete, mas também não faz a diferença. Contratado junto ao PSG em 2016 por 16,5 milhões de euros, o lateral de 24 anos cumpre bem a função de reserva de Jordi Alba. Porém, é nítida a queda de qualidade que a equipe sofre com a ausência do titular, pois o ex-jogador do Paris Saint-Germain não tem a mesma profundidade, e a qualidade também está longe de ser a mesma. Digne está avaliado em 15 milhões euros e deve permanecer no clube para a próxima temporada. Em 17-18 ele disputou 19 partidas pelo time de Ernesto Valverde.

20 | Sergi Roberto (26 anos) – contrato até 30/06/2022 (€500M – Multa)
Sergi é um dos grandes xodós da torcida culé, e a cada ano que passa demonstra com sua polivalência o quanto é importante. Após a contratação de Nelson Semedo no inicio da temporada, muitos imaginavam que o canterano perderia espaço, mas isso não aconteceu. Aleix Vidal e Semedo não se firmaram, e Sergi aos poucos foi tomando conta da posição, e hoje é indiscutível na lateral direita do Barça – mesmo não sendo sua posição de origem. A cria de ‘la masia’ entrou em campo 47 vezes na temporada, marcou 1 gol e deu 7 assistências. Seu valor de mercado é de 60 milhões de euros e sua presença é muito mais do que garantida em 2018-19.


2 | Nelson Semedo (24 anos) - contrato até 30/06/2022 (€100M – Multa)
Com um misto de problemas físicos, insegurança e dificuldades de adaptação, o primeiro ano de Nelsinho Semedo no Barcelona não foi nada fácil. Jogador que se destacou no Benfica por sua profundidade, acabou por não conseguir demonstrar suas melhores qualidades na primeira temporada. O camisa ‘2’ entrou em campo 32 vezes em 2017-18, dando 2 assistências apenas. Mesmo com o baixo rendimento, Semedo deve fazer parte do elenco 18/19. O português está avaliado em 30 milhões de euros pelo site tranfesmark.

5 | Sergio Busquets (29 anos) – contrato até 30/06/2021 (€200M – Multa)
Na humilde opinião deste cidadão que vos escreve, falaremos agora do melhor primeiro volante do futebol mundial e, ainda não vi jogar outro do mesmo quilate. Mais uma temporada (8ª) disputada em nível absurdo, a cabeça pensante do primeiro passe e o responsável pela cobertura de uma das defesas mais bem montadas da Europa em 2018-19. O Barcelona é um time com Busquets; protegido e com excelente saída de bola. E algo completamente diferente sem o camisa ‘5’; vulnerável e sem qualidade no primeiro passe. Foram 47 partidas na atual temporada; 1 gol e 3 assistências. Sergio com certeza estará no elenco em 18/19 e seu valor de mercado atual é de €80 milhões.


4 | Ivan Rakitic (30 anos) – contrato até 30/06/2021 (€125M – Multa)
O croata tem papel silencioso na equipe, aquele jogador que pouco aparece, mas que tem função fundamental. Rakitic é a ligação entre o meio e o ataque, é importante na marcação e na chegada na frente, tem qualidade de passe e um chute qualificado. Recuperou de vez a condição de titular da equipe. A importância do camisa ‘4’ se reflete no número de partidas disputadas por ele; foram 51 de 55, é – junto com Messi -  o jogador que mais entrou em campo pelo Barcelona na atual temporada. O croata é peça chave para 18/19 e está avaliado em 50 milhões de euros – segundo o site tranfesmark.


15 | Paulinho (29 anos) – contrato até 30/06/2021 (€120M – Multa)
As atuações de Paulinho na seleção brasileira o trouxeram ao Barcelona e, pode-se dizer com toda a certeza, que foi a contratação mais contestada do futebol europeu na atual temporada. Logo nos primeiros jogos o brasileiro calou a boca dos críticos e conquistou o seu lugar na equipe titular. São 47 partidas disputadas, com 8 gols e 3 assistências. O volante perdeu um pouco de espaço nos últimos jogos, mas é muito clara a confiança que o treinador culé deposita em seu camisa ‘15’, sendo assim, é bem provável que o jogador seja peça importante para a próxima temporada. Paulinho está avaliado em 40 milhões de euros, mesmo valor pago pelo Barça ao Guangzhou Evergrande para contar com o volante.

8 | Andrés Iniesta (33 anos) – contrato vitalício (não tem multa rescisória)
Capitão, ídolo e exemplo para todos os amantes do futebol. Don Andrés anunciou que está de saída do Barça, e vai deixar um imenso vazio. Depois das partidas de Mascherano, Xavi e Puyol, chegou a vez de Iniesta. Nesta temporada um dos maiores jogadores da história do futebol esteve em campo em 40 partidas, deu 4 assistências e marcou 3 gols. Sua despedida é motivo de grande comoção entre barcelonistas e amantes do futebol de um modo geral. Andrés Iniesta ainda está avaliado em 20 milhões de euros e, infelizmente, não fará parte do elenco 18/19. ¡Graciès per tot, Don Andrés!

6 | Denis Suárez (24 anos) – contrato até 30/06/2020 (€50M – Multa)
Denis é um dos jogadores, que ao meu ver, deveriam ter mais oportunidades. De fato, a temporada foi mais proveitosa para o ex-jogador do Villareal. Com Ernesto Valverde o meia disputou 25 partidas na temporada, quase 50% dos jogos da equipe, marcando 3 gols e dando 6 assistências. O mais interessante é a função que o atual chefe blaugrana confiou ao camisa ‘6’, bem diferente do posicionamento que Luís Enrique o escalava. O ex-treinador o posicionava na ponta-esquerda, substituindo Neymar em alguns jogos. Já com Ernesto, Denis joga na posição de Coutinho e Iniesta, na criação das jogadas ofensivas; fator que valorizou demais as qualidades de Denis. O jovem está avaliado em 15 milhões de euros e, sua continuidade no Camp Nou é uma incógnita.

21 | André Gomes (24 anos) – contrato até 30/06/2021 (€100M – Multa)
Gomes é um dos jogadores mais visados por torcida e imprensa e, cá entre nós: motivos não faltam pra tal perseguição. Contratado junto ao Valencia por 35 milhões de euros em 2016, o português nunca justificou o investimento, sempre se mostrou estar em um nível muito aquém para se tornar, de fato, um jogador do FC Barcelona. Foram 31 partidas disputadas em 17/18, com apenas 1 assistência e uma coleção de erros. André Gomes está avaliado em 15 milhões de euros, e a tendência (se Deus quiser) é que o meia seja negociado.

14 | Philippe Coutinho (25 anos) – contrato até 30/06/2023 (€400M – Multa)
Adaptação: essa é a palavra do momento na vida de Coutinho. O camisa ‘14’ é a contratação mais cara da história do Barça, custou €120 milhões aos cofres do clube - mais variáveis que serão pagas correspondentes ao cumprimento de metas. Mesmo chegando no meio da temporada, Coutinho conseguiu aos poucos se encontrar. Sem poder disputar a Liga dos Campeões, foi peça fundamental nas conquistas da Copa do Rei e da Liga Espanhola, participando ativamente dos jogos cruciais. Em 18 partidas, o ‘mago’ anotou 5 gols e deu 6 assistências. Philippe Coutinho é umas das peças fundamentais para a próxima temporada, e está avaliado em 100 milhões de euros.

10 | Lionel Messi (30 anos) – contrato até 30/06/2022 (€700M – Multa)
Falar do argentino é como chover no molhado. Mais uma temporada a nível Messi, o nível que o mundo se acostumou a ver. Cada vez mais imprescindível para o time, ‘la pulga’ já marcou 43 gols e deu 19 assistências em 17/18. Sem contar que esteve em campo em 51, das 55 partidas do Barcelona este ano – como já supracitado, é ao lado de Rakitic o jogador que mais entrou em campo pelo time na temporada. Messi não só está garantido para a próxima temporada, como teve seu vínculo estendido até 2022. O argentino é avaliado em 180 milhões de euros, segundo cotação do site tranfermark. O maior jogador da história desse esporte também é cria de ‘la masia’.

11 | Ousmane Dembélé (20 anos) – contrato até 30/06/2022 (€400M – Multa)
Com duas lesões sérias em quatro meses, Dembélé, que é o segundo jogador mais caro da história do Barça (€105 milhões), teve muitas dificuldades pra entrar no ritmo da equipe. Mesmo assim, em 21 partidas disputadas, deu 8 assistências e marcou 2 gols. Existem rumores de que o jogador possa ser emprestado por conta da suposta chegada de Antoine Griezmann; o que eu, particularmente, não acredito. O camisa ‘11’ culé está avaliado em 80 milhões de euros, e deve estar no plantel 2018-19.

22 | Aleix Vidal (28 anos) – contrato até 30/06/2020 (€60M – Multa)
O lateral direito de 28 anos está no Barcelona desde a temporada 2015-16, quando foi contratado junto ao Sevilla por 17 milhões de euros. Mas, Aleix jamais conseguiu se firmar, e a cada janela de transferências os rumores sobre sua saída aumentam. No último mês de janeiro o jogador esteve muito perto de voltar ao ex-clube por meio de empréstimo, o que acabou não acontecendo por divergências salariais. Vidal disputou 25 jogos, marcou 2 gols e deu 4 assistências. Sua avaliação de mercado atual é de 7,5 milhões de euros, e sua permanência para 18/19 é improvável.

9 | Luís Suárez (31 anos) – contrato até 30/06/2021 (€200M – Multa)
‘El pistolero’ mais uma vez não decepcionou. Após um início de temporada perturbador pela falta de gols, Suárez fez as pazes comas redes e foi de suma importância para a temporada vitoriosa no âmbito nacional. Foram 29 gols e 15 assistências, em 47 partidas disputadas. Ficando apenas atrás de Messi nos quesitos artilharia e assistências. Luisito é avaliado em 85 milhões de euros e - sem dúvidas - estará no elenco para a próxima temporada.

17 | Paco Alcácer (24 anos) – contrato até 30/06/2021 (€100M – Multa)
O atacante Paco Alcácer é mais uma daquelas contratações que não deram certo. Artilheiro e destaque do Valência, foi contratado pelo Barcelona em 2016. A direção culé pagou 30 milhões de euros pelo valenciano, valor que jamais foi justificado pelo mesmo. Na atual temporada, Paco fez 20 jogos e marcou 7 gols, mais do que em 2016-17, porém, menos do que pede o alto valor investido no camisa ‘17’. A cotação de Alcácer é de 15 milhões de euros, e o mesmo não deve permanecer no clube.

Fora os jogadores citados no texto, outros 4 participaram do elenco em 17/18. Foram eles: Mascherano (10 jogos), Deulofeu (10 jogos, 3 gols e 2 assistências), José Arnáiz (4 jogos, 3 gols) e Carles Aleña (3 jogos).

Mascherano deixou o clube em definitivo para se aventurar no futebol chinês, sua transferência rendeu 5 milhões de euros ao clube. Gerard Deulofeu está emprestado ao Watford da Inglaterra, onde seguirá ao menos até janeiro de 2019. José Arnáiz é um talento da base culé, que esperamos ver mais no elenco principal. Na mesma situação se encontra Carles Aleña, jogador que se destaca nas categorias de base a algum tempo e que não tem oportunidades suficientes pra demonstrar valor.

O que esperamos para a próxima temporada é a presença de mais canteranos no time principal e a volta do futebol vistoso que encantou o Mundo.

Pra terminar, vou exibir abaixo uma tabela com a provável ‘barca’ de jogadores para a próxima temporada. Pra quem leu até aqui, o meu muito obrigado!


*obs: As opiniões expressadas na matéria têm como base o ponto de vista do autor, que pode não ser a mesma dos demais integrantes do site newsfcbarcelona.com








VEJA MAIS

Folha salarial do atual elenco blaugrana após as renovações recentes


| Por Lui Chaves 

Com as renovações de contrato recentes, a folha salarial do Barça sofreu com uma alta considerável. Os salários de Lionel Messi, Sergi Roberto, Gerard Piqué e Andrés Iniesta foram reajustados, e fizeram com que as despesas salariais com o elenco do futebol aumentassem em 22%; de €147,2 milhões, pra 179,5 milhões de euros.

Na tabela abaixo confira em detalhes os ganhos brutos e líquidos de cada um dos 22 jogadores do elenco principal do maior clube do Mundo:
FOLHA SALARIAL DO ELENCO ATUAL
JOGADOR
ANUAL (Bruto)
LIQUIDO
MENSAL (Bruto)
LIQUIDO
Ter Stegen
 €        4.800.000,00
 €        3.600.000,00
 €             400.000,00
 €         300.000,00
Cillessen
 €        2.100.000,00
 €        1.575.000,00
 €             175.000,00
 €         131.250,00
Gerard Piqué
 €        7.000.000,00
 €        5.250.000,00
 €             583.333,33
 €         437.500,00
Samuel Umtiti
 €        2.800.000,00
 €        2.100.000,00
 €             233.333,33
 €         175.000,00
Vermaelen
 €        3.600.000,00
 €        2.700.000,00
 €             300.000,00
 €         225.000,00
Yerry Mina
 €        3.700.000,00
 €        2.775.000,00
 €             308.333,33
 €         231.250,00
Jordi Alba
 €        6.000.000,00
 €        4.500.000,00
 €             500.000,00
 €         375.000,00
Lucas Digne
 €        2.100.000,00
 €        1.575.000,00
 €             175.000,00
 €         131.250,00
Sergi Roberto
 €        2.800.000,00
 €        2.100.000,00
 €             233.333,33
 €         175.000,00
Nelson Semedo
 €        2.000.000,00
 €        1.500.000,00
 €             166.666,67
 €         125.000,00
Paulinho
 €        4.800.000,00
 €        3.600.000,00
 €             400.000,00
 €         300.000,00
Busquets
 €     14.000.000,00
 €     10.500.000,00
 €          1.166.666,67
 €         875.000,00
Rakitic
 €        8.000.000,00
 €        6.000.000,00
 €             666.666,67
 €         500.000,00
Denis Suárez
 €        1.000.000,00
 €           750.000,00
 €                83.333,33
 €           62.500,00
Andrés Iniesta
 €     14.000.000,00
 €     10.500.000,00
 €          1.166.666,67
 €         875.000,00
André Gomes
 €        4.100.000,00
 €        3.075.000,00
 €             341.666,67
 €         256.250,00
Philippe Coutinho
 €     21.000.000,00
 €     15.750.000,00
 €          1.750.000,00
 €     1.312.500,00
Lionel Messi
 €     40.000.000,00
 €     30.000.000,00
 €          3.333.333,33
 €     2.500.000,00
Ousmane Dembélé
 €     12.000.000,00
 €        9.000.000,00
 €          1.000.000,00
 €         750.000,00
Luís Suárez
 €     17.800.000,00
 €     13.350.000,00
 €          1.483.333,33
 €     1.112.500,00
Paco Alcácer
 €        3.700.000,00
 €        2.775.000,00
 €             308.333,33
 €         231.250,00
Aleix Vidal
 €        2.000.000,00
 €        1.500.000,00
 €             166.666,67
 €         125.000,00
TOTAL DE SALÁRIOS
total bruto anual
Liquido
total bruto mensal
Liquido
ELENCO 17/18
 €   179.300.000,00
 €   134.475.000,00
 €       14.941.666,67
 €   11.206.250,00

Lionel Messi segue soberano como jogador mais bem pago do elenco, e não há como ser diferente. Em sua última atualização de vínculo, o salário do argentino subiu de 21,1 milhões anuais, pra exorbitantes 40 milhões de euros por temporada. Destaque também para o alto salário de Philippe Coutinho (€21 milhões), que é também o jogador mais caro da história do clube. Teremos também uma baixa significativa a partir de julho com saída de Don Andrés Iniesta, que se por um lado deixará um imenso vazio no coração de todos os culés, por outro, aliviará em €14 milhões os saldos anuais da instituição (quase €2 milhões por mês). Denis Suárez segue com o mesmo salário desde que chegou ao clube (€1 milhão), sendo ele o dono dos mais “baixos” rendimentos da equipe profissional.


Aguardaremos agora a próxima temporada, com a esperança de que ‘lá masia’ volte a nos brindar com grandes talentos. Que os custos com contratações e salários sejam mais baixos e que o desempenho europeu volte a ser do tamanho dessa fantástica instituição. Visca el Barça!






VEJA MAIS


| INSTAGRAM